Quem sou eu

Minha foto

Me chamo Rogério Rocha. Sou maranhense da cidade de São Luís, mas na verdade me sinto um cidadão do mundo. Sou pós-graduado em Direito Constitucional (Universidade Anhanguera-Uniderp-LFG), pós-graduado em Ética (IESMA), Graduado em Filosofia e Direito (UFMA), mestrando em Criminologia na Universidade Fernando Pessoa (Porto/Portugal). Atualmente sou Servidor do Poder Judiciário do meu estado. Exerci a advocacia durante 6 anos de minha vida,atuando nas áreas de Direito Civil (Família), Direito do Trabalho e do Consumidor. Fui professor do CEFET- MA (atual IFMA) por 2 anos, período em que lecionei tanto para o ensino médio quanto para os alunos de áreas técnicas as disciplinas de Sociologia, Filosofia e Metodologia do Trabalho Científico. Escrevo poesias desde os 12 anos de idade. Homem livre e de bons costumes, amante da música, da arte, da história e de viagens. Obs.: Postgraduate in Constitutional Law (University Anhanguera-Uniderp-LFG), Postgraduate in Ethics (IESM), graduated in Philosophy and Law (College); Public Server at Judiciary Power, Teacher, Poet.

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Em jogo difícil, Brasil vence Cuba e segue na luta por mais um título da Liga Mundial de Vôlei

Do UOL Esporte 

Em São Paulo
Campeã em oito das últimas dez edições da Liga Mundial, a seleção masculina de vôlei sofreu em sua estreia na fase final da competição, mas conseguiu a virada diante de Cuba usando a experiência do banco de reservas de Bernardinho para vencer por 3 sets a 2, com parciais de 18-25, 21-25, 25-16, 30-28 e 15-12 em Gdansk, na Polônia.
Após um início apático e com pouca vibração da equipe que teve como novidades na formação inicial Marlon e Leandro Vissotto, que voltou de lesão, só conseguiu entrar no jogo quando Bernardinho mudou e usou o banco com Giba, Sidão, Bruninho e Theo para se salvar de iniciar sem ponto no grupo F, o “grupo da morte” da fase final, que teve a Rússia vencendo os Estados Unidos por 3 sets a 1 para abrir três pontos.

Fase final da Liga Mundial

Foto 16 de 25 - Murilo faz defesa para a seleção brasileira diante de Cuba pela Liga Mundial em Gdansk Divulgação/FIVB
 A reação não foi o bastante e no quarto set a seleção brasileira voltou a passar apuros diante dos cubanos, que abriram 20 a 17 usando a eficiência ofensiva de Bell e Leon. A equipe do Brasil salvou seis match points e após meia-hora de set conseguiu virar e forçar o tie-break. evitar novas emoções no quinto set, a seleção brasileira não conseguiu se distanciar no placar, mas se manteve à frente mesmo quando foi pressionada por Cuba e conseguiu vencer a partida com bola fora de Hernandez no ponto decisivo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe do nosso blog, comentando, sugerindo e deixando o seu recado.

Postagens populares

Total de visualizações de página

Páginas