Quem sou eu

Minha foto

Me chamo Rogério Rocha. Sou maranhense da cidade de São Luís, mas na verdade me sinto um cidadão do mundo. Sou pós-graduado em Direito Constitucional (Universidade Anhanguera-Uniderp-LFG), pós-graduado em Ética (IESMA), Graduado em Filosofia e Direito (UFMA), mestrando em Criminologia na Universidade Fernando Pessoa (Porto/Portugal). Atualmente sou Servidor do Poder Judiciário do meu estado. Exerci a advocacia durante 6 anos de minha vida,atuando nas áreas de Direito Civil (Família), Direito do Trabalho e do Consumidor. Fui professor do CEFET- MA (atual IFMA) por 2 anos, período em que lecionei tanto para o ensino médio quanto para os alunos de áreas técnicas as disciplinas de Sociologia, Filosofia e Metodologia do Trabalho Científico. Escrevo poesias desde os 12 anos de idade. Homem livre e de bons costumes, amante da música, da arte, da história e de viagens. Obs.: Postgraduate in Constitutional Law (University Anhanguera-Uniderp-LFG), Postgraduate in Ethics (IESM), graduated in Philosophy and Law (College); Public Server at Judiciary Power, Teacher, Poet.

domingo, 24 de julho de 2011

Uruguai campeão da Copa América

MARIANA MAZIEROCOLABORAÇÃO PARA A FOLHA
O Uruguai superou o Paraguai por 3 a 0, um gol de Suarez e dois de Forlán, no estádio Monumental de Núñez, e coroou o seu renascimento com o título da Copa América. Assim, se tornou o maior campeão da competição, com 15 triunfos, um a mais que a Argentina.

Alejandro Pagni/France Presse
Diego Forlan festeja o segundo gol do Uruguai na partida contra o Paraguai
Diego Forlan festeja o segundo gol do Uruguai, o seu primeiro na partida contra o Paraguai
A equipe do país, campeã mundial em 1930 e 1950, abandonou o ostracismo e ressurgiu na última década. Chegou às semifinais da Copa América de 2007 e do Mundial de 2010.
Nas categorias de base, a seleção uruguaia também vai bem -- alcançou os Mundiais sub-20 e sub-17 e a Olimpíada de 2012.
Faltava um título de grande relevância para completar essa grande fase. E saiu hoje.
O Uruguai conquistou a Copa América com um belo jogo em Buenos Aires. O placar de 3 a 0 mostrou exatamente a superioridade da Celeste Olímpica.
O Uruguai mereceu o resultado da partida pela superioridade em campo.
Aos 2min de jogo, a Celeste Olímpica já colocava perigo no goleiro Villar, do Paraguai.
No meio de tanta pressão, houve muita reclamação. Foram pelo menos dois lances polêmicos que podiam ter rendido pênaltis para a Celeste.
No início do primeiro tempo, uma bagunça na área paraguaia deixou os jogadores do Uruguai nervosos pedindo pênalti. Após uma cobrança de escanteio, Lugano mandou de cabeça para o gol, mas Villar defendeu. No rebote, Coates mandou para o gol, e Ortigoza tirou com a mão. O árbitro brasileiro Salvio Spinola mandou seguir e não marca nada.
Em outra ocasião, Lugano foi puxado na área e o árbitro brasileiro também deixou passar.
Como os dois gols do jogo saíram no primeiro tempo, os erros do árbitro brasileiro Sálvio Spínola não fizeram tanta diferença.
O primeiro aconteceu aos 11min. Forlán lançou Suárez na área e o camisa 9 cortou o marcador e chutou de perna esquerda com precisão e força. Com capricho, a bola ainda bateu na trave antes de entrar.
Quase no fim do primeiro tempo, aos 41min, foi a vez de Forlán marcar com muita categoria, sem dar chance para o goleiro paraguaio. O atacante, inclusive, estava muito bem na partida e fez também o terceiro nos últimos minutos de jogo, em um contra-ataque. Forlán chutou certeiro para aumentar a festa, aos 45min do segundo tempo.
O Paraguai bem que tentou, mas não conseguiu pela superioridade técnica do Uruguai.
Marcos Brindicci/Reuters











Jogadores do Uruguai fazem a festa com o troféu da Copa América
Jogadores do Uruguai fazem a festa com o troféu da Copa América

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe do nosso blog, comentando, sugerindo e deixando o seu recado.

Postagens populares

Total de visualizações de página

Páginas