Quem sou eu

Minha foto

Me chamo Rogério Rocha. Sou maranhense da cidade de São Luís, mas na verdade me sinto um cidadão do mundo. Sou pós-graduado em Direito Constitucional (Universidade Anhanguera-Uniderp-LFG), pós-graduado em Ética (IESMA), Graduado em Filosofia e Direito (UFMA), mestrando em Criminologia na Universidade Fernando Pessoa (Porto/Portugal). Atualmente sou Servidor do Poder Judiciário do meu estado. Exerci a advocacia durante 6 anos de minha vida,atuando nas áreas de Direito Civil (Família), Direito do Trabalho e do Consumidor. Fui professor do CEFET- MA (atual IFMA) por 2 anos, período em que lecionei tanto para o ensino médio quanto para os alunos de áreas técnicas as disciplinas de Sociologia, Filosofia e Metodologia do Trabalho Científico. Escrevo poesias desde os 12 anos de idade. Homem livre e de bons costumes, amante da música, da arte, da história e de viagens. Obs.: Postgraduate in Constitutional Law (University Anhanguera-Uniderp-LFG), Postgraduate in Ethics (IESM), graduated in Philosophy and Law (College); Public Server at Judiciary Power, Teacher, Poet.

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

CAMPANHA CONTRA A VIOLÊNCIA DOMÉSTICA


Utilidade Pública

ASSIM COMEÇOU O POVOAMENTO DA BAHIA


Um pouco de História



ASSIM COMEÇOU O POVOAMENTO DA BAHIA...
Torre do Tombo é o local onde se guardam todos os documentos antigos. Está situada em Lisboa, junto a Cidade Universitária.
Sentença de 1587 - Trancoso, Portugal
Arquivo Nacional da Torre do Tombo

SENTENÇA PROFERIDA EM 1587 NO PROCESSO CONTRA O PRIOR DE TRANCOSO (Autos arquivados na Torre do Tombo, armário 5, maço 7)





"Padre Francisco da Costa, prior de Trancoso, de idade de sessenta e dois anos, será degredado de suas ordens e arrastado pelas ruas públicas nos rabos dos cavalos, esquartejado o seu corpo e postos os quartos, cabeça e mãos em diferentes distritos, pelo crime que foi arguido e que ele mesmo não contrariou, sendo acusado de ter dormido com vinte e nove afilhadas e tendo delas noventa e sete filhas e trinta e sete filhos; de cinco irmãs teve dezoito filhas; de nove comadres trinta e oito filhos e dezoito filhas; de sete amas teve vinte e nove filhos e cinco filhas; de duas escravas teve vinte e um filhos e sete filhas; dormiu com uma tia, chamada Ana da Cunha, de quem teve três filhas. Total: duzentos e noventa e nove, sendo duzentos e catorze do sexo feminino e oitenta e cinco do sexo masculino, tendo concebido em cinquenta e três mulheres". Não satisfeito tal apetite, o malfadado prior, dormia ainda com um escravo adolescente de nome Joaquim Bento, que o acusou de abusar em seu vaso nefando noites seguidas quando não lá estavam as mulheres. Acusam-lhe ainda dois ajudantes de missa, infantes menores  que lhe foram obrigados a servir de pecados orais, completos e nefandos, pelos quais se culpam em defeso de seus vasos intocados, apesar da malícia exigente do malfadado prior. "El-Rei D. João II lhe perdoou a morte e o mandou pôr em liberdade aos dezessete dias do mês de Março de 1587, com o fundamento de ajudar a povoar aquela região da Beira Alta, tão despovoada ao tempo e, em proveito de sua real fazenda, o condena ao degredo em terras de Santa Cruz, para onde segue a viver na vila da Baía de Salvador como colaborador de povoamento português. El-Rei ordena ainda guardar no Real Arquivo esta sentença, devassa e mais papéis que formaram o processo".

Utilidade Pública: pelo desarmamento



Livre-se dela, antes que um desastre aconteça em sua casa.
- Acontece todos os dias em algum lugar do planeta.

Máfias de hoje e de ontem


Máfias
de hoje e de ontem

Helio Amorim*

A presidente segue destemida com a faxina que já a levou a perder três ministros e algumas dezenas de executivos de alto escalão da república. Parlamentares da base do governo se rebelam e fazem pirraça: não votamos nada enquanto essa mania de limpeza não parar. Medo evidente dos respingos de sabão.

Olhando mais longe, vemos os indianos nas praças das cidades, bradando contra a corrupção generalizada. O motivo foi a prisão de um líder popular, ativista político de 74 anos, por suas denúncias contra a corrupção no país, lançando-se a uma greve de fome.

Na China, o presidente afirma em discurso que "a corrupção é uma ameaça de morte para o país e para o Partido Comunista chinês, pois acaba com a confiança do povo nos dirigentes". Estima-se por lá que os desvios passem de 120 bilhões de dólares. Mas o governo manda fechar o site de um internauta que coletava denúncias de corrupção e já exibia 10 mil na primeira semana. Para um país que enforca os condenados por corrupção já se vê que a ameaça do castigo não barra a roubalheira.

Estes são exemplos que infestam as páginas dos jornais das últimas semanas. Para a população passa a impressão de um quadro de corrupção generalizada no país e no mundo. Já temos avaliado, neste espaço, o potencial contagioso desse comportamento criminoso. A doença se alastra em nível epidêmico, de cima para baixo. Está configurada uma crise ética planetária, agravada por um conformismo histórico somente agora explodindo em praças do mundo.

Em nosso país, os cidadãos acompanham revoltados os episódios revelados por investigações competentes da Polícia Federal e dos agora mais ativos órgãos de controle do governo, mas ainda não se esboça uma reação nas ruas contra a lentidão das condenações. Batalhões de advogados bem remunerados com dinheiros roubados do povo por seus clientes, conseguem em poucas horas um refrescante habeas corpus, a que o ladrão de margarina do supermercado não tem acesso. Passos seguintes serão recursos, agravos, mandados de segurança e todo um extenso cardápio de medidas protelatórias de sentenças definitivas que as retardarão por muitos anos, com riscos de prescrição do crime.

É hora de reformas profundas nos códigos de processos judiciais e penal, para aliviar o peso nas prateleiras dos tribunais e o estresse dos juízes. Essa agilidade é requisito essencial da justiça. A longevidade estéril dos processos são um evidente incentivo à bandidagem.

É urgente incluir essa reforma na pauta do Congresso Nacional para sustar o assalto aos dinheiros do povo depositados nos cofres do governo repetidamente arrombados por essas máfias.

E aumentar as vagas nas cadeias.

* Membro do MFC Movimento Familiar Cristão e Instituto da Família

terça-feira, 30 de agosto de 2011

Sarney em grafitagem

Esse grafite se encontra em uma parede de um dos bairros de classe média de São Luís.


Fonte: Blog do Linhares

Satiagraha: Investigação chega a Paulo Henrique Amorim



O ex-jornalista, atualmente apresentador de TV e “blogueiro progressista” Paulo Henrique Amorim está sendo investigado no inquérito que apura as irregularidades cometidas pelo ex-delegado Protógenes Queiroz na Operação Satiagraha. A notícia é do Consultor Jurídico, por Márcio Chaer:
(…)
O ex-delegado Protógenes Queiroz, mesmo protegido por um mandato parlamentar, é alvo de inquérito no Supremo Tribunal Federal por interceptação telefônica ilegal, prevaricação e corrupção passiva. As suspeitas baseiam-se em dados apimentados. Seu patrimônio teria aumentado vinte vezes depois que entrou nessa luta do bem contra o mal. Protógenes e seu ex-chefe, Paulo Lacerda teriam vendido a operação satiagraha a empresários que queriam o naco de Daniel Dantas no mercado nacional de telefonia.
No Inquérito que se encontra no Supremo Tribunal Federal, sob número 3.152, aparece o nome do empresário que teria financiado de maneira oculta a operação: Luís Roberto Demarco de Almeida. Diretor demitido do Opportunity, ele é descrito no inquérito como alguém que fez fortuna especializando-se em prestar serviços para os adversários de Dantas.
(…)
Conforme o despacho assinado pelo juiz federal Toru Yamamoto, que encaminhou o Inquérito 3.152 ao STF quando Protógenes tornou-se deputado, Demarco não é o único investigado por corrupção ativa nessa história escabrosa. O empresário Paulo Henrique Amorim, que se apresenta como um paladino do combate ao crime, responde pela mesma acusação de seu parceiro.
Assim como Protógenes, Amorim ostenta um acréscimo de patrimônio incomum para os padrões da sua profissão. Ele é dono, por exemplo, de um imóvel na Quinta Avenida, em Nova York, em frente ao Metropolitan Museum. Segundo o próprio apresentador, a conta certa é de dois apartamentos nova-iorquinos.
Os nomes de Demarco e Paulo Henrique Amorim surgiram no processo com a quebra do sigilo telefônico de Protógenes. Constatada a prática de fraudes no curso da célebre operação, a própria PF decidiu checar a origem do entusiasmo do delegado com a missão. Foi quando se apurou que Protógenes trocara pelo menos 422 telefonemas com a dupla de empresários nos doze meses que antecederam a deflagração da operação.
Ao mesmo tempo, o então delegado passou a receber, em “doação” parte dos sete imóveis dos quais ele declarou ser proprietário à justiça eleitoral. Protógenes declarou também à Justiça eleitoral ter R$ 284 mil guardados em casa e uma conta na Suíça.
A investigação em torno do patrimônio do hoje deputado, contudo, mostra que a declaração tem erros em volume suficiente para justificar a cassação do mandato de Protógenes. Parte do seu patrimônio foi omitido e o valor total dos bens declarados (R$ 834 mil) seria seis vezes maior (R$ 5,04 milhões). Antes de se tornar delegado, o patrimônio de Protógenes, segundo sua declaração, era de R$ 206 mil.
(…)
FONTES: O Implicante/Blog do Linhares

Queen - Under Pressure

Saudades do Queen, do cantor e magnífico showman, chamado Fred Mercury. Grandes tempos. Então, vamos relembrá-los com um hit do repertório da banda, numa letra de David Bowie, que faz um dueto sensacional com Mercury nessa música. 




Under Pressure

Queen

Um boom ba bay
Um boom ba bay
Um boom ba ba bay
Pressure pushing down on me
Pressing down on you no man ask for
Under pressure - that burns a building down
Splits a family in two
Puts people on streets
Um ba ba bay
Um ba ba bay
Dee day duh
Ee day duh
That's Ok
It's the terror of knowing
What the world is about
Watching some good friends
Screaming 'Let me out'
Pray tomorrow gets me higher
Pressure on people, people on streets
Day day day
da da da dup bup
O.k.
Chippin' around
Kick my brains around the floor
These are the days it never rains but it pours
Ee do bay bup
Ee do bay ba bup
Ee do bup
Bay bup
People on streets
Dee da dee da day
People on streets
Dee da dee da dee da dee da
It's the terror of knowing
What this world is about
Watching some good friends
Screaming 'Let me out'
Pray tomorrow - gets me higher high high
Pressure on people - people on streets
Turned away from it all like a blind man
Sat on a fence but it don't work
Keep coming up with love
but it's so slashed and torn
Why - why - why ?
Love love love love love
Insanity laughs under pressure we're cracking
Can't we give ourselves one more chance
Why can't we give love that one more chance?
Why can't we give love...?
give love give love give love give love give love give love give love give love...
'Cause love's such an old fashioned word
And love dares you to care for
The people on the edge of the night
And loves dares you to change our way of
Caring about ourselves
This is our last dance
This is our last dance
This is ourselves
Under pressure
Under pressure
Pressure

domingo, 28 de agosto de 2011

Com exibição de gala, ‘Spider’ comanda show brasileiro



 
                                                                      Foto: Wander Roberto/UFC 

Anderson 'Spider' Silva comemora vitória sobre Yushin Okami 

No UFC 134, na Arena HSBC, no Rio de Janeiro, quem fez a festa foi o público, brindado com grandes combates e um show à parte de Anderson Silva. O ‘Spider’, nome da noite, correspondeu à expectativa ao nocautear o japonês Yushin Okami no segundo round, mantendo o cinturão dos pesos médios. 

Anderson foi o grande 'showman' da noite, mas outros brasileiros considerados astros do MMA mundial também fizeram bonito. Mauricio Shogun Rua liquidou o norte-americano Forrest Griffin com nocaute, enquanto Rodrigo Minotauro, depois de um período afastado por lesão, retornou ao octógono em alta, batendo – literalmente – o favorito Brendan Schaub, também por knockout. 

A vitória de Anderson Silva sobre Okami fechou de forma mais que positiva o UFC 134, que para o público brasileiro será inesquecível. A consagração do ídolo, a boa performance dos demais astros brasileiros e o surgimento de novos nomes como Edson Júnior e Rousimar Toquinho. Tudo caminhou em sintonia perfeita com a impecável organização do evento. E claro, com a participação constante do público, cada vez mais fã do MMA.

Anderson Silva soberano em revanche

Derrotado por Yushin Okami em luta polêmica em 2006, Anderson Silva subiu ao octógono parecendo prever o resultado final. Nem mesmo o bom início do adversário, que chegou a pressionar o brasileiro no córner, serviu para tirar a tranquilidade de ‘Spider’. Aos poucos, Silva foi dominando o combate e mostrando que a revanche seria uma questão de tempo. 
 
                                       Foto: Wander Roberto/Divulgação UFC 

Anderson Silva soca o indefeso Yushin Okami na vitória por nocaute 

Depois de um primeiro round equilibrado, o ‘Spider’ voltou com tudo para o segundo. Logo aos 2min04, ele acertou o japonês com dois socos que levaram o adversário ao chão. Inerte e sem defesa, Okami foi presa fácil para Anderson, que conseguiu o nocaute com uma sucessão de golpes, até a luta ser interrompida pelo árbitro, confirmando a vitória do ídolo brasileiro. 

Depois de receber o cinturão das mãos do presidente do UFC, Dana White, o corintiano Anderson Silva, ovacionado pela torcida, foi de poucas palavras – até porque estava mais preocupado em comemorar. Mas destacou o árduo treinamento ao lado de feras como Minotauro e Minotouro e Júnior Cigano. E ainda usou uma frase do capitão Nascimento para imortalizar a vitória: ‘Senhores, nunca serão, jamais serão.” 
Minotauro emociona brasileiros com vitória por nocaute 

Sem lutar há um ano e meio por causa de uma série de lesões, Antônio Rodrigo Nogueira mostrou, mais uma vez, que sua brilhante história no MMA é escrita por meio da superação. Mesmo com apenas três meses de treino, ele nocauteou o americano Brendan Schaub no primeiro round e mostrou que o rei das finalizações também tem punhos de aço. 

No início do combate Schaub foi para cima de Minotauro controlando a distância do oponente com uma sequência de jabs. O brasileiro seguiu pacientemente a estratégia esperando a chance certa para mandar o adversário para o chão. Contudo, o americano se defendeu bem e escorou na grade para escapar da queda. Dessa forma, Rodrigo Nogueira surpreendeu com um boxe afiado, acertou Brendan com um cruzado de direita e com uma série de golpes levou apagou o americano que sucumbiu de cara no chão. 

"Tive três meses para treinar, mas só aceitei essa luta por causa de 
vocês. É a minha primeira luta em casa, valeu gente", disse Minotauro após a vitória. 
 
                                       Foto: Wander Roberto/Divulgação UFC 

Público lotou a Arena HSBC e acompanhou um grande evento
 

Shogun ‘marreta’ Griffin e conquista revanche 

Mais um momento emocionante do card principal estava por vir quando foi anunciada a luta entre Maurício Shogun Rua e Forrest Griffin, grande confronto entre dois ex-campeões dos meio-pesados. O combate marcava a revanche pedida há anos por Shogun, derrotado por Griffin em sua luta de estreia no UFC.
 

Apesar de vir de derrota para Jon Jones, Shogun era o favorito da luta - e fez jus às expectativas. Aliás, foi além. Derrotou o americano aos 3 minutos e 7 segundos do primeiro round. O combate começou com muito estudo e respeito por parte de ambos os atletas, mas com mais iniciativas de Griffin. Apesar de se movimentar mais, o lutador americano desferiu golpes com pouca contundência, sempre respondidos por Shogun. Os contragolpes do curitibano, porém, eram mais eficazes, como um upper seguido de joelhada, que abalou Griffin. 

Em dado momento da trocação, um direto certeiro de Shogun foi sentido pelo americano, que se desequilibrou em seguida, caindo no octógono. O curitibano aproveitou rapidamente para trabalhar o ground and pound, distribuindo uma sequência feroz de 'marretadas' que fizeram com que o árbitro interrompesse a luta. Mais um nocaute técnico de um brasileiro dava a tônica da noite. Um dos maiores nomes do MMA mundial, Shogun levou a arena à loucura, provando que pode recuperar o cinturão e deixando o cage consagrado pelos gritos em coro: "o campeão voltou!". 

Fonte: blog Nocaute

Postagens populares

Total de visualizações de página

Páginas