Quem sou eu

Minha foto

Me chamo Rogério Rocha. Sou maranhense da cidade de São Luís, mas na verdade me sinto um cidadão do mundo. Sou pós-graduado em Direito Constitucional (Universidade Anhanguera-Uniderp-LFG), pós-graduado em Ética (IESMA), Graduado em Filosofia e Direito (UFMA), mestrando em Criminologia na Universidade Fernando Pessoa (Porto/Portugal). Atualmente sou Servidor do Poder Judiciário do meu estado. Exerci a advocacia durante 6 anos de minha vida,atuando nas áreas de Direito Civil (Família), Direito do Trabalho e do Consumidor. Fui professor do CEFET- MA (atual IFMA) por 2 anos, período em que lecionei tanto para o ensino médio quanto para os alunos de áreas técnicas as disciplinas de Sociologia, Filosofia e Metodologia do Trabalho Científico. Escrevo poesias desde os 12 anos de idade. Homem livre e de bons costumes, amante da música, da arte, da história e de viagens. Obs.: Postgraduate in Constitutional Law (University Anhanguera-Uniderp-LFG), Postgraduate in Ethics (IESM), graduated in Philosophy and Law (College); Public Server at Judiciary Power, Teacher, Poet.

quarta-feira, 30 de maio de 2012

A Refundação da Física


por Mario Novello
©Martina Vaculikova/ Shutterstock
No século 17 os astrônomos (Ticho Brahe, Kepler, Galileu) realizaram uma mudança profunda na arte de representar racionalmente a Natureza, dando origem a um modo novo de produzir conhecimento científico e fundando a física moderna. Quando observamos o céu, para mais uma vez produzir uma história científica do Universo, estamos seguindo os mesmos caminhos e a mesma tarefa. O papel da cosmologia, hoje, como há quatro séculos, é elaborar a refundação da física, como veremos.

O Universo está em um processo acelerado?

A observação do comportamento irregular de estrelas supernovas levou à hipótese de que o Universo estaria dotado de expansão acelerada. Isso significa que a taxa de crescimento do volume global do espaço estaria aumentando com o tempo (contrariamente ao que se poderia esperar devido ao caráter atrativo da gravitação). Segundo a teoria da relatividade geral isso implicaria a existência de uma fonte de expansão com propriedades pouco convencionais e exigiria a presença de incompreensível pressão altamente negativa. Se essa fosse a interpretação correta dos dados astronômicos, teríamos de aceitar a existência em alguma região cósmica de novas formas de matéria com propriedades inusitadas. Ou então, a simetria que levou os cosmólogos a eleger o modelo geométrico de Friedmann deveria ser alterada. Isso eliminaria a necessidade de examinar inúmeras tentativas recentes e de postular a presença de formas de matéria desconhecidas com características esdrúxulas. 

Qual a origem do Universo?

Desde 1979 conhecemos soluções exatas das equações da relatividade geral que descrevem a geometria do Universo sem singularidade, isto é, como um processo oscilante, que anteriormente à atual fase de expansão passou por uma fase de contração gravitacional. Há até pouco tempo a opção entre uma teoria do universo singular (tipo Big Bang) ou um universo eterno se sustentava apenas por argumentos formais. Mas, ao compararem observações envolvendo a formação de estruturas como galáxias e aglomerados galácticos, os cosmólogos estão no limiar de poder decidir sobre a característica mais fundamental do Universo, correspondendo ao seu tempo de existência, para finalmente responder à questão: o Universo teve começo há uns poucos bilhões de anos ou ele é muito mais antigo, possivelmente eterno? 

As leis da física são universais?

Desde o início da ciência moderna o pensamento científico foi dominado por uma visão rígida, com o pressuposto de que as leis físicas descobertas a partir de experiências realizadas em laboratórios terrestres ou em nossa vizinhança no Sistema Solar eram verdades eternas, sem evolução e válidas em todo o Universo. Embora no primeiro momento essa extrapolação exagerada servisse como uma prática de trabalho adequada, nos últimos anos ela tem sido criticada e dado lugar a um intenso trabalho relacionando os mecanismos de formação das leis físicas com a evolução do Universo (inibindo a visão idealista de que são precisamente essas leis físicas absolutas, acima de qualquer compreensão ulterior, que determinam a evolução cósmica).

As leis da microfísica são universais?

Um bom exemplo de alterações de leis físicas terrestres está relacionado a duas interações fundamentais: o eletro magnetismo e a desintegração da matéria pela interação fraca. O físico inglês P. A. M. Dirac e o brasileiro C. Lattes, entre outros, se perguntaram, talvez de maneira ingênua, se o valor numérico da carga elétrica seria uma constante universal ou variaria com o espaço e o tempo. Esse modo de apresentar uma possível dependência da interação eletromagnética é certamente simplista e está longe de conter toda possibilidade de variação compatível com as demais leis e princípios fundamentais da física. Mas devemos reconhecer que esse foi um primeiro passo capaz de permitir retirar do Olimpo as leis físicas terrestres e a inexorabilidade de serem aplicadas de modo irrestrito em qualquer estágio de evolução do Universo.

 Um modo um pouco menos simplista ocorreu com a questão: os processos de desintegração da matéria seriamuniversais? Ou, dito de outro modo, a força que controla o decaimento da matéria (interação fraca) e que, segundo as observações realizadas em laboratórios terrestres, tem a característica de violar maximalmente a paridade, exibiria essa propriedade em qualquer circunstância em nosso Universo? Seria isso verdade mesmo em situações em que o campo gravitacional (que em princípio não parece desempenhar papel relevante nesse mecanismo de desintegração) exibe curvaturas do espaço- tempo extraordinariamente grandes, de várias ordens de grandeza superiores àquelas onde esses processos de desintegração foram testados?

A grandiosidade da fase atual por que passa a ciência, graças ao olhar moderno para o céu, e em analogia profunda com o que aconteceu na astronomia há 400 anos, estão levando a Cosmologia a produzir uma verdadeira refundação da física.
2 »
Mario Novello doutor em física pela Universidade de Genebra, Suíça, publicou mais de uma centena de artigos científicos sobre cosmologia e gravitação em revistas internacionais. Colaborador frequente de SCIENTIFIC AMERICAN BRASIL fundou e dirige o Grupo de Cosmologia do Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas – CBPF/CNPq e a Escola de Cosmologia e Gravitação do CBPF. É autor de vários livros de divulgação científica.


Fonte: Scientific American Brasil

Tomate tem 7 mil genes a mais do que homem, segundo estudo



RIO - O tomate, quem diria, tem DNA mais complexo do que o do ser humano. Seu genoma, que acaba de ser decodificado, conta com 31.760 genes - sete mil a mais do que o nosso. A diversidade genética pode ter salvo a planta de sucumbir à mesma catástrofe que matou os dinossauros e a maior parte das formas de vida da Terra. Agora, seu mapeamento ajudará na produção de variantes mais saborosas, inclusive fora de sua época tradicional de cultivo.
Um consórcio de geneticistas de 14 países levou nove anos trabalhando com a planta, cujo cultivo é crescente no mundo. Só em 2010, foram produzidas 145,8 milhões de toneladas. Espera-se que, a partir dos resultados do estudo, publicados esta quinta-feira na "Nature", seja possível desenvolver tomates capazes de sobreviver a pestes e às mudanças climáticas.
A revelação do genoma do tomate abre caminho para variedades mais nutritivas, saborosas e até com formatos diferentes. Elas podem ser produzidas tanto por cruzamento tradicional quanto por engenharia genética. Os dados têm aplicação para outras culturas da família Solanaceae, como berinjelas e pimentas.
Os cientistas sequenciaram os genomas das variedades Heinz 1706 (Solanum lycopersicum), usado no ketchup, e de seu parente selvagem mais próximo, a Solanum pimpinellifolium, dos Andes peruanos, berço dos ancestrais do tomate.
O fato do fruto ter mais genes do que o homem não quer dizer que ele seja mais sofisticado; apenas que escolheu uma estratégia diferente para organizar seu DNA. Os seres humanos fazem uso de uma técnica conhecida como splicing alternativo, permitindo que os componentes de cada gene sejam montados em muitas formas diferentes. Assim, um gene pode ter várias funções.
Já a família Solanaceae desenvolveu complexidade genética pela aquisição de genes. Cerca de 70 milhões de anos atrás, algum imprevisto resultou na triplicação do genoma da planta. Normalmente a triplicação de um genoma seria uma desvantagem, sobrecarregando a planta com uma DNA maior do que o necessário. Mas este evento ocorreu numa época de grande estresse ambiental, quando houve extinção dos dinossauros, e esta versatilidade genética inesperada pode ter salvo a espécie.
- É fácil pensar que, neste período, com muita atividade vulcânica e pouca luz solar, a reserva de genes foi útil para uma planta - explica Jim Giovannoni, geneticista do Instituto Broyce Thompson de Pesquisa de Plantas, nos EUA.


Fonte: br.noticias.yahoo.com/Agência O Globo

Ariano Suassuna vai representar o Brasil na disputa pelo Prêmio Nobel de Literatura de 2012


Escritor paraibano teve a indicação aprovada pela Comissão de Relações Exteriores do Senado

Ariano Suassuna vai representar o Brasil na disputa pelo Prêmio Nobel de Literatura 2012
Ariano Suassuna vai representar o Brasil na disputa pelo Prêmio Nobel de Literatura 2012 (Divulgação/Renato Rocha Miranda/TV Globo)
O escritor Ariano Suassuna vai ser o candidato brasileiro na disputa pelo Prêmio Nobel de Literatura de 2012. O autor paraibano de obras como O Auto da Compadecida e A Pedra do Reino teve a indicação aprovada pela Comissão de Relações Exteriores do Senado. 
"A vida e a obra de Ariano Suassuna contêm expressão filosófica que transpõe as limitações temporais e de gerações, atingindo todos os públicos e transportando-se pelos mais diversos e modernos meios de comunicação”, disse o senador Cássio Cunha Lima (PSDB/PB), que sugeriu o nome de Suassuna à disputa pelo prêmio.
Entre os escritores brasileiros que já foram indicados à Academia Sueca estão Jorge Amado (1967), Guimarães Rosa (1966), o poeta Jorge de Lima (1958), que não pode entrar na competição por que morreu em 1953 e o Nobel só concede prêmio a personalidades em vida, Ferreira Gullar (2002) e João Ubaldo Ribeiro (2010). Nenhum brasileiro jamais foi laureado com o prêmio.
Fonte: veja.abril.com.br

FHC diz que país está sem plano de voo e critica rumos da economia



Fernando Henrique Cardoso faz uma análise do momento econômico e afirma que o Brasil está sem plano de voo para um rumo ao desenvolvimento. Um plano de voo, diz, é saber onde se quer chegar e unir a sociedade nesse sentido. Segundo ele, é preciso criar novas frentes de investimento, de inovação tecnológica e incentivar a poupança e não só o consumo, como está sendo feito. Para FHC, a falta de um plano de voo para o País é um dos motivos que afasta o jovem da política. Fernando Henrique diz que o jovem vê a política como manobra, interesse, não vê grandeza. Para reverter isso, ele afirma que é preciso inovar porque o jovem quer inovação rumo a uma sociedade decente e com mais igualdade. Sem criticar diretamente o atual governo, FHC diz que é preciso um plano de desenvolvimento para o Brasil e não apenas de crescimento.
Fonte: observadorpolitico.org.br

Senado aprova criação de mais 70 mil cargos para o MEC



Iolando Lourenço
Repórter da Agência Brasil


Brasília - O Senado aprovou hoje (30) projeto de lei que autoriza o Ministério da Educação a criar mais de 70 mil cargos e funções a serem preenchidos até 2014. Como foi aprovado na Câmara e não sofreu modificações no Senado, a proposta segue agora para sanção presidencial.
Segundo o governo, as vagas serão usadas no Programa de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (Reuni) e no Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e ao Emprego (Pronatec).
Na justificativa da proposta encaminhada ao Congresso pela Presidência da República, o governo sustenta que a abertura dos cargos visa a promover a melhoria da educação nas universidades e nas escolas técnicas de ensino básico e médio.
De acordo com o projeto de lei, serão criados 43.875 cargos de professor, dos quais 19.569 da carreira de magistério superior e 24.306 do magistério do ensino básico, técnico e tecnológico. Ainda serão criados 27.714 cargos de técnico administrativo, além de 1.608 de direção e 3.981 de funções gratificadas.
 Fonte: Agência Brasil

terça-feira, 29 de maio de 2012

The History of Sux, the World’s Most Discreet Murder Weapon


The History of Sux, the World's Most Discreet Murder Weapon
You might notice the sting of the injection. Within seconds you'd realize you're having trouble moving your eyes and fingers, followed by your arms and legs. If you were standing, you'd collapse. In a heap on the floor, you'd realize nearly every muscle in your body was paralyzed. Being fully conscious, your sense of panic would be rising as rapidly as the paralysis was spreading. Swallowing and breathing has become more and more difficult. Slipping into unconsciousness, your last conscious thought may well be "I am going to die."
Statistically speaking, you're not going to die. Not because what was injected isn't lethal – it most certainly is. No, you're probably not going to die because if you've been injected with succinylcholine (also known as suxamethonium chloride or simple ‘sux') you're most likely in a hospital, undergoing intubation with accompanying respiratory support. The administration of sux is part of the rapid sequence intubation (RSI) protocol, which means a medical team is actually trying to keep you alive – they've just got to paralyze you do to it. If you're being intubated, your airway is blocked and the RSI protocol is employed to get a breathing tube down your throat. To get this tube in quickly, they'll paralyze and sedate you.
Sedation means you won't be conscious when the paralysis sets in. Respiratory support means something will be breathing for you when the muscles involved in respiration stop working. In 5 – 10 minutes, a clinical dose of sux wears off as it's rapidly metabolized by your body. The sedation will likely last longer. The goal is that by the time you're awake, your breathing has been stabilized and perhaps other medical issues have been (or are being) addressed. This is the intended use of sux. But, like many chemicals, people can use it for nefarious reasons.
If you're hit with clinical dose of sux and have no respiratory support, you will likely die. Though the effects of sux wear off in 5-10 minutes, your body's need for oxygen renders those minutes far too long. If you're hit with sux without sedation, you'll spend those minutes before death in a state of waking terror, realizing there is nothing you can do. It is a horrible way to die. For a time, it was a clever way to kill someone.
Since the early 1950s, sux has been used in a clinical setting mainly by anesthesiologists. It's a mystery when it was first used in a homicide, but the first high-profile killings came in the 1966 and 1967. This salacious tale of murder involves anesthesiologist Dr. Carl Coppolino, his mistress, his mistress' husband dying suddenly in '66, Coppolino's wife dying suddenly in '67, a quick remarriage by Dr. Coppolino (not to that mistress), two trials in different states leading to different verdicts.
Coppolino's first trial in New Jersey involved a shaky witness (that jilted mistress) and a tricky toxicology problem. In their 2006 J Am Soc Mass Spectrom paper, Ballard et al. expound on sux's tricky tox.
…few forensic laboratories will even attempt to analyze these compounds. This is partially because there is little need to measure them clinically and, thus, no routine assays are available, and partially because they are analytically challenging compounds. Nevertheless, the potential for their use as murder weapons must be considered, particularly in cases involving sudden, unexpected, and unexplained death with a medical professional as a potential suspect, both within and outside of a hospital setting. Succinylcholine in particular has a long reputation as an undetectable, "perfect" poison.
The analysis of quaternary ammonium neuromuscular blocking agents in a forensic setting is challenging for two reasons. The first reason is that the chemical behavior of these compounds, involving both hydrophilic and lipophilic characteristics, makes them difficult to isolate from biological specimens. The second reason is the extraordinary variability of the types of specimens encountered; this variability is such that each specimen must be considered unique.
Back in the mid-to-late sixties, sux was likely considered a "perfect poison" as no tried-and-true method for detecting it in tissues was developed until the 1980s. Previous analysis had holes – including the analysis presented in both of Coppolino's trials. It wasn't sux that was detected, but the metabolites succinic acid and choline. Here's a big hole: what else could give rise to those detected metabolites?
While Coppolino's soon-to-be very famous defense attorney F. Lee Bailey focused on the tricky tox of sux in both trials, Coppolino was only aquitted of the death of his ex-mistress' husband. That second set of jurors in the Florida trial for Mrs. Coppolino's murder returned a guilty verdict.
The Coppolino trials shined a light on the challenges of detecting sux. In the decades that followed, advances were made but even these new techniques had their limits. Police in Osaka, Japan had a string of missing persons in 1993-1994, which they linked to single suspect who subsequently confessed to killing five people. Oddly, the suspect was a dog breeder. Typically, suspicious deaths involving sux have one thing in common – access to sux. This usually means medical professionals are involved. Just how did a dog breeder get his hands on drug typically associated with anesthesiologists? The suspect explained both his access to sux and his mode of administrating sux to police.
The suspect (the dog breeder) confessed that he had injected around 40 mg (one ampule dose) of succinylcholine (suxamethonium chloride) intramuscularly into one arm of the victims after sedating them by oral administration, via some soft drink, of a small amount of bromovalerylurea (bromisovalum) and/or nitrazepam. The drugs had been illegally provided by a veterinary surgeon of his acquaintance under the pretense of killing unwanted animals. The suspect had prior experience of killing dogs with succinylcholine. [excerpt from here]
During his confession, this dog breeding killer directed police to the burial sites of all five victims. At the site of one victim, a plastic syringe was found. A needle mark was noted for one victim during autopsy, but not for the other four. In 1994, body decomposition and the rapid metabolism of sux proved too big a hurdle for a sux tox screen to overcome – no sux was found in any of the victims. Sux was found in that recovered syringe, however. Though no sux was found in the victims, the suspect was convicted based on his confession and other evidence.
By the time of Kathy Augustine's death in 2006, analysis of sux in tissues and biological fluids had advanced greatly. Like Mrs. Coppolino, Augustine's death was first thought to have been the result of a heart attack. Found unconscious at home by her husband Chaz Higgs, Augustine was rushed to the hospital where she died a few days later. Augustine, the first female state controller in Nevada history and a political mover-and-shaker, was a high profile death in Nevada from day one.
Like Coppolino and the dog breeder before him, Higgs had access to sux. Higgs was a critical care nurse who had experience administrating sux. But it wasn't Higgs' access to, and familiarity with, sux that raised a red flag. It was the troubled Higgs – Augustine marriage, along with something Higgs supposedly told fellow nurse Kim Ramey.
Ramey told police that she and Higgs had talked at work just a day before Augustine was rushed to the hospital. At the preliminary hearing, Ramey said Higgs had mentioned a well known local murder case involving a man who had stabbed his wife to death.
"He said, ‘That guy did it wrong.' He said, ‘If you want to get rid of somebody,' and he made a gesture like this (holding a needle), ‘You just hit her with a little Sux, because they can't trace it post mortem,'" Ramey told the court. "I looked him at the face and I said, ‘Chaz, that's too much anger to carry around.' And the hair on my arm arose." [excerpt from here]
After hearing from Ramey, police sent urine collected during Augustine's hospital stay directly prior to her death. Analysis of Augustine's urine showed sux metabolites and sux. At no time during her hospital stay was Augustine administered sux.
The detection of sux, not just sux metabolites, in Augustine's urine was dismissed by Higg's defense attorney David Houston.
…he argues the amount of succinylcholine detected by the urine test is inconsequential. "What they're talking about from the prosecution's stand point is finding what they euphemistically refer to as traces. Well, I'm not really sure what a trace is, but it's certainly not enough to convict somebody beyond a reasonable doubt of a murder," Houston says. [excerpt from here]
Traces of sux was enough for Tom Barb, the prosecutor handling the Higgs case.
"Succinylcholine is not a recreational drug. If that's present, somebody put it in her, and the only one that had the opportunity to put it in her was her husband," argues Tom Barb. "I guess it's just pretty straightforward. It's murder by injection, as opposed to a gunshot." [excerpt from here]
Interestingly, the way sux was put into Augustine was a focus of Higgs' defense. Higgs' attorney David Houston raised what can be called the "my client knows better" defense.
He also tried to raise doubts about the medical evidence, including the site of the injection, which was in the muscle of the buttocks. The drug works fastest if delivered intravenously, and Higgs would have known that, Houston argued. [excerpt from here]
Nearly a year after Augustine's death, a jury convicted Higgs of first degree murder.
The cases discussed here weren't cracked by some routine tox screen. The tip-off to sux came from a jilted mistress, a confessed killer and a coworker. Such witness tips have helped resolve other high profile sux cases. Tips aren't usually enough in today's criminal prosecutions, neither is a suspect's access to sux. This is where modern analytical techniques come in. Tests can bolster, or weaken, witness tips and other circumstantial evidence against accused killers that sux.
Image from Hospira




Fonte: Gizmodo.com

'Rock Band Blitz' terá faixas de Elton John e Iron Maiden


'Rock Band Blitz' vai reconhecer todas as músicas do jogo. Foto: Divulgação
'Rock Band Blitz' vai reconhecer todas as músicas do jogo
Foto: Divulgação
Elton John e Iron Maiden estarão na nova versão do game Rock Band, que chega às redes dos consoles ainda este ano. A Harmonix divulgou 15 das músicas que virão com o Rock Band Blitz.
Contudo, a versão simplificada do game musical vai rodar todas as canções que o usuário tiver na biblioteca do seu console das versões anteriores do jogo.
O novo título será disponibilizado para download nas redes de Playstation 3 e Xbox 360. Além de reconhecer as antigas, o jogo vem com 25 novas músicas.
Confira as músicas divulgadas:
All-American Rejects - Kids in the Street
Barenaked Ladies - One Week
Blink-182 - Always
Collective Soul - Shine
Elton John - I'm Still Standing
Fall Out Boy - A Little Less Sixteen Candles
Foster the People - Pumped Up Kicks
Great White - Once Bitten Twice Shy
Iron Maiden - Wicker Man
Living Coulour - Cult of Personality
Pink - Raise Your Glass
Quiet Riot - Metal Health
Rick Springfield - Jessie's Girl
Shinedown - Diamond Eyes
Tears for Fears - Shout


Fonte: games.terra.com.br

Unicef: países ricos têm 30 milhões de crianças pobres



Os 35 países mais ricos do mundo concentram 30 milhões de crianças pobres – 15% da população infantil assistida pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef). Segundo relatório divulgado nesta terça-feira (29), somente na Europa há 13 milhões de crianças pobres.
Para os especialistas, o relatório do Unicef é um alerta aos líderes dos países ricos. O estudo foi feito nos 27 países da União Europeia, além da Noruega, da Islândia, da Austrália, do Canadá, dos Estados Unidos, do Japão, da Nova Zelândia e da Suíça. As democracias escandinavas têm somente 3% de crianças pobres.
O Unicef definiu alguns critérios de comparação para estabelecer pobreza, entre eles, o acesso a três refeições por dia, com frutas e legumes frescos, livros, conexão à internet e um local calmo para fazer as atividades escolares.


Fonte: istoe.com.br

Redução de exigências para entrada de brasileiros na Espanha será estudada


Representantes dos governos brasileiro e espanhol vão se reunir na próxima segunda-feira (4/6) para negociar a redução das exigências feitas para a autorização da entrada de brasileiros na Espanha e de espanhóis no Brasil. Será a primeira reunião desde que o Brasil passou a adotar uma série de medidas, denominadas de reciprocidades, que aumentaram o rigor para a entrada de espanhóis em território brasileiro.


De acordo com a chefe do Departamento Consular e de Brasileiros no Exterior do Ministério das Relações Exteriores, ministra Maria Luiza Lopes, a Espanha manifestou disposição para dialogar apenas após a adoção das medidas de reciprocidade pelo Brasil. “Nas reuniões anteriores, tivemos muita dificuldade em obter concessões, mas, a partir de agora, estamos em uma situação de relativo equilíbrio. O que queremos deles eles também vão querer de nós. [Antes] era um diálogo de surdos”.

O governo brasileiro vai propor a instituição de um procedimento de linha direta para a redução emergencial de casos duvidosos, ou seja, situações em que a decisão foi meramente burocrática ou por problema com documentos do viajante. “Queremos estabelecer um mecanismo de quem liga para quem imediatamente no momento dessa decisão inicial [de inadmissão no país]. Temos o entendimento de que todas as decisões podem ser reavaliadas”, disse a ministra.

As medidas de reciprocidades, que começaram a ser adotadas no início de abril, foram colocadas em prática depois do relato de brasileiros que se queixavam das humilhações e de discriminação ao tentar entrar em território espanhol. Em abril, cerca de 30 espanhóis foram barrados e impedidos de ingressar em território brasileiro. “Muitos deles [chegam] por fronteira terrestre, na fronteira de Foz do Iguaçu”, revelou Maria Luiza Lopes.

De acordo com o subsecretário-geral das Comunidades Brasileiras no Exterior, embaixador Eduardo Gradilone Neto, os maus-tratos a brasileiros que chegam em território espanhol continuam ocorrendo mesmo depois da visita, ao Brasil, do ministro de Assuntos Exteriores e Cooperação da Espanha, José Manuel García-Margallo, que ocorreu há duas semanas. “Deram todas as garantias que alguma coisa ia acontecer e continua havendo essas inadmissões”, lamentou.

Até agosto de 2011, 1.005 brasileiros foram barrados em aeroportos do país. A estimativa é que cerca de 158,7 mil brasileiros vivam em território espanhol. Na Europa, a comunidade brasileira é aproximadamente 900 mil.

Pelas regras em vigor, os espanhóis que quiserem entrar no Brasil terão de estar com o passaporte válido por, no mínimo, seis meses. Também serão exigidos os comprovantes de passagens de ida e volta, com data marcada.

O espanhol que for se hospedar em hotel deverá apresentar o documento de reserva. Caso venha a se hospedar na casa de amigos ou parentes, terá de apresentar uma carta-convite. O documento deve conter a assinatura do responsável, autenticação em cartório e um comprovante de residência dessa pessoa.

O último item das exigências refere-se à renda mínima do espanhol que pretende visitar o Brasil. Ele deve comprovar que tem condições financeiras para arcar com até R$ 170 de despesas, por dia, em território brasileiro.

Fonte: Correioweb

CACHOEIRA ARRUMOU AVIÃO PARA DEMÓSTENES E “GILMAR”




Escutas telefônicas indicam que o contraventor Carlinhos Cachoeira providenciou um avião King Air para dar uma carona ao senador Demóstenes Torres e a "Gilmar", no retorno de uma viagem da Alemanha ao Brasil. Em uma ligação no dia 23 de abril, um ex-vereador do PSDB pede autorização para buscar o "Professor" Demóstenes em um "jatinho", que está com o "Gilmar". Na degravação, a PF questiona entre parênteses (“Mendes?”). O ministro do STF foi a Europa neste período para participar de um congresso internacional de Direito.

Najla Passos e Vinicius Mansur – Carta Maior

Brasília - Escutas telefônicas interceptadas pela Polícia Federal (PF), com autorização da Justiça, durante a Operação Monte Carlo, questionam se o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, “pegou carona” em um avião fornecido pela quadrilha de Carlinhos Cachoeira, no dia 25 de abril de 2011, quando teria retornado da Alemanha ao Brasil, na companhia do senador Demóstenes Torres (ex-DEM-GO).

No dia 23 de abril de 2011, às 19:31, o ex-funcionário da empreiteira Delta e ex-vereador de Goiânia pelo PSDB, Wladimir Garcez, também preso durante a Operação Monte Carlo, diz em ligação a Cachoeira que “o Professor (Demóstenes) está querendo vir de São Paulo no avião do Ataíde” e que “Gilmar” o acompanha. O documento da PF indaga: “Gilmar Mendes?” Cachoeira responde “que pode autorizar” enquanto ele acha o Ataíde.

Ataídes de Oliveira (PSDB-TO) é primeiro-suplente do senador João Ribeiro (PR-TO) e empresário do ramo de construção civil, incluído pela PF na lista de políticos ligados ao contraventor, preso na Operação Monte Carlo.

Às 20:14, Wladimir volta a falar com Cachoeira e informa que está providenciando o avião do Rossini. As investigações da PF indicam que Rossini Aires Guimarães é sócio de Cachoeira em uma empresa de segurança, a Ideal Segurança, e na fazenda Gama, em Brasília.

Cachoeira: Qual é o avião do Rossini?

Wladimir: É um jatinho né, ele tem um que é um jatinho que ele falou, um King Air (na verdade, um bimotor turboélice).

Cachoeira: A, um pequeno né?

Wladimir: é... aí eu peguei falei com ele, ele falou não, não preocupa não que eu organizo. Porque ta vindo ele e o Gilmar né, porque não vai achar vôo sabe.

Às 20:38, ainda no dia 23, Cachoeira pergunta a Wladimir se o senador chega na “segunda cedo”. O ex-vereador informa que “é tudo desconjuntado, ele sai de lá amanhã meio dia, que é sete horas da manhã daqui” e que já deixou tudo acertado. O bicheiro pergunta que horas o vôo chegará em São Paulo e Wladimir responde “ seis horas da manhã”.

No dia 25, às 12:10, Wladimir diz ao bicheiro que o senador já chegou.

Berlim

As declarações recentes de Gilmar Mendes, a propósito de um encontro com Demóstenes em Berlim, fornecem indícios de que o “Gilmar” beneficiado pela carona exposta nesta reportagem seria o ministro do STF, Gilmar Mendes.

À revista Veja, Gilmar Mendes afirmou que se encontrou com Demóstenes em Berlim, na Alemanha, mas negou as acusações de que suas despesas foram pagas por terceiros. Ainda segundo a Veja, o ministro teria uma filha residente em Berlim e, por isso, frequentaria a cidade com regularidade.

Em entrevista à Globonews na noite desta segunda-feira (28), Mendes afirmou que o encontro com Demóstenes aconteceu logo após uma “atividade acadêmica em Granada”.

Mendes foi à Europa participar de um congresso internacional em homenagem ao jurista italiano Antônio D’Atena, promovido pelo Fundação Peter Häberle e pela Universidade de Granada, da Espanha. O congresso foi aberto no dia 13/4/2011, mas a participação de Mendes se deu na manhã do dia seguinte, com a palestra “A integração na América Latina, a partir do exemplo do Mercosul”.

A presença de Demóstenes em Berlim, por sua vez, é confirmada por Cachoeira em uma ligação a Wladimir Garcez, interceptada pela PF no dia 18/4/2011, às 18:08 horas.

Não há registros públicos de quais atividades Demóstenes teria ido desenvolver na Europa, mas levantamento feito por Carta Maior demonstra que ele não participou das votações realizadas no plenário do Senado entre 13 e 25/4/2011.

Em nota oficial, Lula manifesta indignação

A assessoria de imprensa do Instituto Lula divulgou nota oficial onde o ex-presidente manifesta indignação com o teor da matéria publicada pela revista Veja. A nota afirma:

Sobre a reportagem da revista Veja publicada nesse final de semana, que apresenta uma versão atribuída ao ministro do STF, Gilmar Mendes, sobre um encontro com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no dia 26 de abril, no escritório e na presença do ex-ministro Nelson Jobim, informamos o seguinte:

1. No dia 26 de abril, o ex-presidente Lula visitou o ex-ministro Nelson Jobim em seu escritório, onde também se encontrava o ministro Gilmar Mendes. A reunião existiu, mas a versão da Veja sobre o teor da conversa é inverídica. “Meu sentimento é de indignação”, disse o ex-presidente, sobre a reportagem.

2. Luiz Inácio Lula da Silva jamais interferiu ou tentou interferir nas decisões do Supremo ou da Procuradoria Geral da República em relação a ação penal do chamado Mensalão, ou a qualquer outro assunto da alçada do Judiciário ou do Ministério Público, nos oito anos em que foi presidente da República.

3. “O procurador Antonio Fernando de Souza apresentou a denúncia do chamado Mensalão ao STF e depois disso foi reconduzido ao cargo. Eu indiquei oito ministros do Supremo e nenhum deles pode registrar qualquer pressão ou injunção minha em favor de quem quer que seja”, afirmou Lula.

4. A autonomia e independência do Judiciário e do Ministério Público sempre foram rigorosamente respeitadas nos seus dois mandatos. O comportamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é o mesmo, agora que não ocupa nenhum cargo público.
Fonte: Página Global

sábado, 26 de maio de 2012

Gostou, Mourinho? Brasil passa pela Dinamarca em dia de Hulk e Oscar


Fonte: globoesporte.globo.com
José Mourinho viu de perto neste sábado a força de Hulk e o talento de Oscar: com a presença do técnico do Real Madrid no estádio Imtech Arena, o atacante do Porto brilhou com a camisa da Seleção Brasileira, marcou duas vezes e criou a jogada de outro (contra) na vitória do time de Mano Menezes por 3 a 1 sobre a Dinamarca, em Hamburgo. O meia do Internacional também se destacou com a camisa 10 e participou dos principais lances do time canarinho.
Mesmo com vários desfalques, a Seleção teve boa atuação, uma das melhores sob o comando de Mano, principalmente no primeiro tempo, quando marcou os três gols. Na etapa final, o time diminuiu o ritmo e viu Bendtner descontar no placar, em posição irregular e erro do árbitro que não assinalou impedimento. O técnico não pôde contar com Neymar e o goleiro Rafael, que defenderam o Santos na Libertadores quinta-feira e só se apresentarão para os jogos nos Estados Unidos. Daniel Alves e Paulo Henrique Ganso foram cortados por lesões, enquanto Alexandre Pato acabou poupado na Alemanha. Zagueiro do Chelsea, David Luiz não jogará nem na Terra do Tio Sam, mas permanecerá com a delegação.
No domingo, o grupo viaja para os Estados Unidos, onde a equipe enfrentará os americanos (quarta, em Washington), o México (dia 3 de junho, em Dallas) e Argentina (9 de junho, em Nova Jersey) nos últimos testes para as Olimpíadas. Em 8 de junho, Mano vai anunciar os 35 nomes que continuarão na pré-lista dos Jogos (a relação conta com 52 hoje). A convocação final para Londres sairá em 6 de julho.
Cotado para defender o campeão europeu Chelsea na próxima temporada, Hulk brilhou em Hamburgo. O atacante do Porto abriu o placar aos sete do primeiro tempo com um chute de fora da área, criou ao lado de Oscar o lance que originou o gol contra de Zimiling cinco minutos depois e marcou o terceiro do Brasil aos 39 da etapa inicial, em jogada individual após o meia do Internacional roubar a bola perto do meio do campo. Aos 25 do segundo tempo, Zimiling driblou Rômulo com estilo na área e cruzou para Bendtner, em posição de impedimento (não dado), marcar para a Dinamarca.
Hulk, Brasil x Dinamarca (Foto: Agência EFE)Oscar, Damião e Hulk comemoram o primeiro gol: trio ofensivo deu certo na Alemanha (Foto: Agência EFE)
O Incrível Hulk domina o primeiro tempo: 3 a 0
Sem contar com nomes como Neymar, Daniel Alves e Pato, Mano escalou a Seleção com Jefferson, Danilo, Thiago Silva (capitão), Juan (revelado pelo Internacional e atualmente no Inter de Milão), Marcelo, Sandro, Rômulo, Oscar (herdeiro da camisa 10 sem Ganso), Hulk, Leandro Damião e Lucas.
O pouco tempo de treinamento parecia prejudicar o início da equipe canarinho na partida. Alguns erros de passe marcaram os primeiros minutos. Mas aos sete, Hulk recebeu na entrada da área e soltou a bomba de canhota. O goleiro Sorensen caiu atrasado e não viu a cor da bola: 1 a 0 para o time canarinho.
A partir daí, tudo o que o técnico Mano Menezes gostaria de ver entrou em campo. A Seleção começou a marcar a Dinamarca no campo de defesa. Acuados com o gol marcado logo no início, os europeus erravam muitos passes.
Mas foi em uma roubada de bola de Hulk, aos 12, que o Brasil ampliou o marcador. O atacante recuperou a posse de bola e tocou para Oscar. O meia do Inter passou por um adversário e cruzou para Hulk. Na ânsia de cortar a finalização, Zimling chutou contra a própria meta e fez o segundo da Seleção. A equipe seguiu melhor na partida, principalmente no setor ofensivo. Lucas e Oscar trocavam de posição a todo instante e levavam perigo ao gol rival.
Se o ataque tinha excelente participação, a defesa ainda precisava de alguns ajustes. E o capitão Thiago Silva era o responsável por orientar os volantes e os companheiros de zaga. Às vezes com Danilo, outras com Sandro e Rômulo, que ainda buscavam o melhor entrosamento.
E foram justamente por esses erros que a Dinamarca chegou ao gol do Brasil algumas vezes. Aos 36, Khron Dehli perdeu dentro da área a chance de diminuir a diferença. Três minutos depois, mais um prêmio para a marcação pressão da Seleção. Oscar tomou a bola na intermediária e lançou para Hulk. O atacante passou por um adversário, invadiu a área e tocou para marcar mais um para o time canarinho: 3 a 0.
Seleção diminui o ritmo e vê árbitro errar em gol da Dinamarca
Com a vitória na mão, a Seleção diminuiu o ritmo no segundo tempo. Logo no primeiro minuto, viu a Dinamarca chegar bem perto de diminuir o placar: Wass cruzou de dentro da área, a bola passou pelo Jefferson e Agger ficou na cara do gol, mas pegou mal e chutou para fora. No início da jogada, Wass estava impedido, mas o árbitro alemão Felix Brych não marcou a irregularidade.
Os dinamarqueses só conseguiram descontar aos 25. E de novo com ajuda do trio de arbitragem. Zimling, que havia feito contra, entrou driblando pela direita, passou pelo volante Rômulo com estilo e cruzou rasteiro para Bendtner, que estava em impedimento claro, marcar dentro da pequena área.
O gol fez Mano Menezes mexer no time. O lateral-direito Danilo deu lugar a Rafael, que foi chamado para a vaga deixada por Daniel Alves. Logo em seguida, Leandro Damião, que esteve apagado, saiu para a estreia de Wellington Nem. O meia Giuliano também ganhou chance e substituiu o são-paulino Lucas. Depois, Sandro saiu para a entrada de Casemiro, e o zagueiro Bruno Uvini deu descanso ao artilheiro Hulk.
A única chance com a garotada em campo foi aos 44, quando Nem entrou em velocidade pela direita e bateu cruzado, mas o goleiro Andersen defendeu. A decisão das vagas nas Olimpíadas ficou para os Estados Unidos, onde o Brasil terá até Lionel Messi pela frente no último teste antes da convocação dos Jogos.
BRASIL 3 X 1 DINAMARCA
Jefferson, Danilo (Rafael), Thiago Silva, Juan, Marcelo (Alex Sandro), Sandro (Casemiro),  Rômulo, Oscar, Hulk (Bruno Uvini), Leandro Damião (Wellington Nem) e Lucas (Giuliano)Sorensen (Stephan Andersen), Wass, Kjaer, Agger, Simon Poulsen, Cristian Poulsen (Jacob Poulsen), Zimling, Eriksen (Rommedahl), Schone (Kahlenberg), Bendtner e Dehli (Nicklas Pedersen)
Técnico: Mano MenezesTécnico: Morten Olsen
Gols: Hulk, aos 7 do primeiro tempo; Zimiling (contra), aos 12 do primeiro tempo; Hulk, aos 39 do primeiro tempo; Bendtner, aos 25 do segundo tempo
Árbitro: Felix Brych (Alemanha) Auxiliares: Marcus Hacker (ALE) e Stefan Lupp (ALE) Data: 26/5/2012 Estádio: Imtech Arena, em Hamburgo (Alemanha)

Postagens populares

Total de visualizações de página

Páginas