Quem sou eu

Minha foto

Me chamo Rogério Rocha. Sou maranhense da cidade de São Luís, mas na verdade me sinto um cidadão do mundo. Sou pós-graduado em Direito Constitucional (Universidade Anhanguera-Uniderp-LFG), pós-graduado em Ética (IESMA), Graduado em Filosofia e Direito (UFMA), mestrando em Criminologia na Universidade Fernando Pessoa (Porto/Portugal). Atualmente sou Servidor do Poder Judiciário do meu estado. Exerci a advocacia durante 6 anos de minha vida,atuando nas áreas de Direito Civil (Família), Direito do Trabalho e do Consumidor. Fui professor do CEFET- MA (atual IFMA) por 2 anos, período em que lecionei tanto para o ensino médio quanto para os alunos de áreas técnicas as disciplinas de Sociologia, Filosofia e Metodologia do Trabalho Científico. Escrevo poesias desde os 12 anos de idade. Homem livre e de bons costumes, amante da música, da arte, da história e de viagens. Obs.: Postgraduate in Constitutional Law (University Anhanguera-Uniderp-LFG), Postgraduate in Ethics (IESM), graduated in Philosophy and Law (College); Public Server at Judiciary Power, Teacher, Poet.

domingo, 30 de setembro de 2012

Bruce Dickinson - Tattooed Millionaire

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

James Hetfield with Apocalyptica One LIVE San Francisco, USA 2011-12-05 ...

Final Countdown cello and orchestra

Matchbox Twenty - She's So Mean [Official Music Video]

Pra que serve um vereador?


Este ano é preciso escolher um, então melhor pensar em como ele pode ajudá-lo

por César Cerqueira
Editora Globo
Créditos: Sendi Morais e O Silva
É ano bissexto, de Olimpíadas e de que mais mesmo? Ah, sim, eleições municipais. Isso significa que em 7 de outubro, além do prefeito você terá que escolher um vereador para uma das 57.429 cadeiras disponíveis nas câmaras dos municípios do Brasil. Mas se o prefeito e seus secretários planejam e coordenam toda a administração da cidade, o que sobra ao vereador, esse cargo que em 2012 será disputado por cerca de 440 mil pessoas? (Há mais candidatos a vereador do que a soma de budistas e judeus no Brasil segundo o Censo de 2010.)

A Constituição de 1988 ajudou a definir a função desses políticos, apontando suas competências genéricas. Segundo a Carta, as principais são legislar e fiscalizar. As leis que eles redigem e aprovam não podem contrariar as das esferas superiores (estadual e federal), mas podem regulamentar algumas coisas importantes, como restrições a fumo em locais fechados e regras para venda de carne moída. Mas outras nem tanto, como o nome novo daquela rua que você nem sabe que existe. Na área de fiscalização, cabe a eles acompanhar gastos do município, avaliar ações do prefeito e cobrar transparência. Além disso, eles devem atuar como administradores das próprias Câmaras, e às vezes até como juízes, ao processar e julgar o prefeito e os próprios colegas em caso de irregularidades. Isso é o que diz a lei. 

 

No dia a dia, porém, a atividade que toma mais tempo dos vereadores é o atendimento de pedidos de indivíduos, comunidades e outros grupos de eleitores. Sabe aquelas faixas que dizem “Obrigado vereador Fulano por trazer o asfalto à comunidade da Vila Ribeirinha”? Pode ser asfalto, mas também pode ser emprego, remédio, óculos, dinheiro para pagar contas, material de construção. Ou seja, atender a demandas específicas e imediatas, sejam individuais ou coletivas. Isso é o que a maioria dos vereadores tenta fazer — até porque é justamente isso que os eleitores esperam dele. 

Uma pesquisa publicada pelo Iuperj (Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro) em 2009 mostra como um vereador da zona oeste do Rio construiu sua fama a partir da manutenção de “centros sociais” privados, com 80 funcionários cada um, que ofereciam desde cursos de lambaeróbica até consultas médicas e jurídicas. O Brasil está cheio de exemplos assim. E como essas atividades não estão proibidas em lei — ao menos fora do período eleitoral —, é complicado dizer se isso é certo ou errado.

“Medir o clientelismo, a troca de benefícios entre pessoas com diferentes níveis de poder, é muito difícil. A fronteira ética neste caso é muito borrada, porque por mais que isso possa ter uma conotação negativa, o vereador é importante como canal para resolver problemas pontuais da população”, diz Felix Lopez, cientista político do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada). Ele lembra que, afinal, esse é o representante político mais acessível ao cidadão comum. 

“A maioria dos eleitores acha inadequado o vereador dizer: ‘Meu papel é legislar e fiscalizar e não vou fazer isso que você está pedindo’”, afirma Lopez, co-autor de um estudo que analisou em detalhes a rotina de vereadores de 12 cidades de Minas Gerais. Quando questionados sobre o que era mais importante em seu trabalho, 60% deles responderam que era “atender a pedidos individuais ou coletivos de eleitores” (veja à direita). Não por acaso, 44% deles disseram que essa era a atividade que mais ocupa seu tempo de trabalho. 

No estudo, os autores apontam 3 fatores que ajudam a explicar esse perfil assistencialista do vereador. Um deles é a natureza quase amadora da gestão municipal brasileira, baseada em redes de contato pessoal. Outro seria o tamanho relativamente pequeno dos municípios do país — nos 89% com menos de 50 mil habitantes, não existe mesmo tanta coisa sobre o que legislar. Inclusive, a maior parte das câmaras nessas cidades só tem uma ou duas sessões por semana. A última explicação seria o poder reduzido desses políticos: questões importantes, como a definição do orçamento, acabam na mão dos prefeitos. 

Para compensar e mostrar serviço na Câmara, os vereadores acabam sugerindo e aprovando um grande volume de leis que pouco ajudam a vida do cidadão. Uma análise dos 1.148 projetos aprovados na atual legislatura pelos vereadores de São Paulo, por exemplo, mostra que 63% deles servem apenas para mudar a denominação de ruas e logradouros ou criar datas comemorativas e homenagens. 

Apesar de não afetar em nada a vida dos paulistanos — ou quem sabe até piorar a vida de quem tenta se localizar na metrópole —, isso é coisa séria na Câmara da cidade. Lá existem pelo menos 7 modalidades de honrarias: medalha Anchieta, diploma de gratidão, título de cidadão, medalha Tiradentes, diploma de reconhecimento, Salva de Prata e medalha civil municipal. Lembrando que essas homenagens também são muito úteis à manutenção de apoios políticos. Se você acha tudo isso um grande desperdício de dinheiro público, talvez seja melhor começar a pesquisar e escolher muito bem quem vai levar o seu voto de 5 dígitos.

Fonte: Revista Galileu

Green Day: "Oh Love" - [Official Video]

Cientistas descobrem que escultura milenar é extraterrestre


Conheça a incrível história da estatueta feita de meteoro que já foi objeto de desejo de nazistas

por Redação Galileu
Editora Globo
A estátua e o símbolo: imagem talhada no meteoro //Crédito: Reprodução Gizmodo
Uma escultura cravada em um meteoro já seria suficiente para virar notícia. Se essa mesma escultura tiver sido alvo de uma expedição nazista meses antes da II Guerra Mundial estourar, já começa a entrar em um nível de surrealismo que mais parece com uma piada nonsense. Pois é. Olha a realidade surpreendendo a todos novamente. 

Com 24 centímetros de altura, a origem da estatueta é rodeada de mistério e a única certeza que os cientistas cravam sem medo de errar não é menos intrigante: ela é extraterrestre, sim senhor. Ela foi esculpida em um fragmento do meteoro Chinga, que caiu entre a Rússia e a Mongólia em algum momento entre 10 e 20 mil anos atrás. Pessoas em busca de ouro acharam os primeiros detritos do meteorito em 1913, mas pesquisadores acreditam que a peça que originou a escultura foi recolhida por alguém muito tempo antes. Os cientistas acreditam que o artesão, em algum momento, deve ter reparado que se tratava de algo especial, já que se trata de um material absurdamente duro. 

De acordo com Elmar Buchner, da Universidade de Stuttgart, na Alemanha, a peça provavelmente representa o deus budista Vaiśravaṇa e a hipótese mais provável é que tenha sido criada por membros da cultura Bon, uma antiga religião tibetana que, segundo alguns, seria uma das precedentes do budismo. A coisa fica mística quando pensamos que algo tão esotérico e antigo foi feito de um material que passou sabe-se lá quantos milhões de anos vagando pelo Universo. A coisa fica bizarra quando os nazistas entram no meio da história. 

Se você reparar bem, vai ver um desenho na barriga do deus. Ele lembra muito uma suástica invertida. Esse emblema representa a bondade na cultura budista e os nazistas, um pessoal que não entrou na História por ser particularmente bondoso, escolheu a versão invertida - que representa a ideia de violência e poder - para simbolizar a ideologia deles. Não há como afirmar com certeza, mas os pesquisadores acreditam que essa coincidência motivou a expedição que nazista que levou a estatueta para a Alemanha, onde está até hoje.

Fonte: Revista Galileu

PES 2013 É LANÇADO NO BRASIL


São Paulo - A Konami anunciou que a edição deste ano de Pro Evolution Soccer chega hoje às lojas brasileiras.
O maior destaque de PES 2013 é a função FullControl, que aumenta os recursos de controle em primeiro toque, com recepção de bola mais sutil, domínio mais acurado, dribles mais realistas, tabelinhas, chutes e passes manuais, com controle sobre altura e força dos toques, entre outras melhorias.
Além disso, PES 2013 conta com o Player ID, que ressalta as características individuais de cada jogador, como jogadas recorrentes, atributos mais notáveis e até comemorações típicas.
Além disso, a primeira divisão do futebol brasileiro está inteiramente presente no jogo. Estádios clássicos, como Morumbi e Vila Belmiro, também estarão disponíveis.
PES 2013 está disponível para PS3 e Xbox 360 por 179,90 reais. Versões para PS2, PSP, 3DS e Wii chegarão em breve.

UM PASSEIO PELA BASÍLICA DE SÃO PEDRO EM 360 GRAUS




Estudantes Universidade de Villanova, na Pensilvânia (Estados Unidos) trabalharam por dois anos: coletaram fotos e tentaram inúmeras simulações. Usaram uma câmara motorizada de borda, com uma alta resolução e tridimensional. 


Eventualmente colocaram seu extraordinário trabalho na internet, acessível a todos. 

Todos podem agora visitar virtualmente essas obras maravilhosas: 

Clique em um dos quatro itens listados abaixo. Isto irá abrir a página do site com a imagem de sua escolha. 

Olhe assim: segure o botão esquerdo do mouse para mover a imagem em todas as direções e use a roda de rolagem para o zoom. 



http://www.vatican.va/various/cappelle/sistina_vr/index.html


http://www.vatican.va/various/basiliche/san_pietro/vr_tour/index-en.html


http://www.vatican.va/various/basiliche/san_paolo/vr_tour/index-it.html


http://www.vatican.va/various/basiliche/san_giovanni/vr_tour/Media/VR/Lateran_Nave1/index.html
Fonte: Filhos de Hiram

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

COMO FUNCIONA O BRASIL? (Para onde vai o nosso dinheiro?)

9 IDIOMAS FICTÍCIOS (que você pode aprender)


Cada fã tem seu jeito de provar seu amor por séries, filmes ou livros. Uns vestem camisas com estampas baseadas nas suas histórias favoritas, outros colecionam brinquedos e objetos relacionados a elas. Mas sempre tem um jeito de ir além. Tipo aprender um idioma fictício.
Línguas inventadas são ingredientes frequentes na construção de mitologias presentes em algumas das mais importantes obras de ficção do mundo nerd. Em alguns casos, aliás, são o ponto de partida para o desenvolvimento de histórias épicas.
A SUPER reuniu 9 exemplos de idiomas fictícios que você pode aprender no mundo real – e tirar onda com todos os seus amigos. Tem língua para todos os gostos.
1. Klingon – “Jornada nas Estrelas”
Esta é, provavelmente, a língua fictícia mais conhecida (graças a “The Big Bang Theory”). A primeira vez que alguém pronunciou palavras no idioma foi em “Jornada nas Estrelas: O Filme”, de 1979. E foi tudo no improviso: James Doohan, o ator que interpretava Scotty, inventou umas palavras e, depois, Marc Okrand se baseou na sua fala para desenvolver toda a língua. Desde então, a linguagem já apareceu em várias outras séries e filmes.
A gramática, o alfabeto e a fonética do klingon não se assemelham a línguas reais. Mas muita gente dedica a vida a estudar o idioma – academicamente, inclusive. Existe até um institutovoltado para a divulgação e tradução do klingon.

2. Quenya e Sindarin – “O Hobbit” e “O Senhor dos Anéis
Conhecido também como élfico maduro, o quenya é o idioma élfico mais antigo na Terra Média, algo como o galego-português em relação ao português que nós falamos hoje em dia. J. R. R. Tolkien desenvolveu toda a língua inspirado pela fonética do finlandês, mas isso não significa que quem é fluente nesse idioma consegue entender o quenya. Como precisava de um alfabeto, Tolkien inventou as tengwar e, para representar os sons de vogais, as tehtar.
Um outro idioma que foi bastante desenvolvido para a saga do Anel é o sindarin. Também uma língua élfica, o sindarin é baseado no galês e chegou a ser a língua mais falada na Terra Média. Você se interessou: existem vários dicionários de élfico pela interne. Já foi publicado até um curso de quenya para quem fala português (dá pra ver aqui).

3. Na’vi – “Avatar”
Além de uma biodiversidade fenomenal, um planeta e um povo, James Cameron decidiu criar também uma cultura e um idioma para os alienígenas humanóides de Avatar. Para isso, ele passou a Paul Frommer, professor da University of Southern California, a tarefa de criar um idioma que fosse fácil de falar, mas que não lembrasse línguas reais. No site Learn Na’vi, você encontra a gramática e o vocabulário e tudo mais que possa precisar para aprender a língua. O único problema é que a versão em português estava fora do ar quando montamos este post, mas isso pode ser um incentivo pra você aprender inglês também!

4. Dothraki – “Game of Thrones”/ “Crônicas de Gelo e Fogo
Se você curte a série “Game of Thrones” e os livros de George R. R. Martin, com certeza já se pegou tentando falar alguma coisa em dothraki, a língua-mãe de Khal Drogo que Daenerys Targaryen teve que aprender. O idioma, como você pode imaginar, surgiu na cabeça de George, mas nos livros há poucas palavras e frases. Quando a HBO decidiu produzir a série de TV, chamou David J. Peterson, um inventor de línguas, para desenvolver o idioma e torná-lo crível na telinha. Embora o idioma seja um dos mais novos da lista, já tem gente aprendendo a se comunicar com o Grande Garanhão. Um dos portais mais seguros para quem quer se arriscar é o Dothraki.com. O site é mantido pelo próprio David e ele fala de muitas outras coisas do universo de Westeros. O Dothraki.org também traz muitas dicas para quem quer aprender a língua e funciona na base do wiki, ou seja, os próprios fãs desenvolvem as apostilas.

5. Novilíngua – “1984″
A novilíngua não é exatamente um novo idioma, mas a mudança de um idioma pré-existente. No livro “1984″, de George Orwell, o governo autoritário do Grande Irmão recriou e deletou palavras do inglês para que pudesse controlar o pensamento das pessoas. Quer dizer, se você não sabe como se referir a um sentimento ou ideia, não tem como você pensar neles. Teoricamente, uma língua nunca encolheria, já que a tendência natural é cada vez mais vocábulos se juntarem a seu léxico. Mas como essa mudança foi imposta pelo Grande Irmão, faz sentido. Nesse artigo do portal Duplipensar – totalmente dedicado ao livro -, você tem uma boa ideia de como funciona esse novo dialeto. Dá até para tentar aprender.

6. Simlish – “The Sims”
No universo virtual dos Sims, o simlish é a língua oficial. Para quem ouve, parece que eles não estão falando nada com nada. Mas, por incrível que pareça, existem algumas regras  para que o idioma seja no mínimo coerente. Na hora de criar a fonética do idioma, Will Wright – o pai dos Sims – e Marc Gimbel, um especialista em idiomas, até experimentaram com línguas reais, mas optaram por criar falas que não fazem sentido. Mas é claro que os fãs tentaram decifrar os barulhos dos personagens. Nesse fórum, uma galera começou a criar um dicionário de frases em simlish. Já o alfabeto, bem, esse é piração mesmo. Ah, uma curiosidade: a cada atualização e extensão para The Sims, um artista faz uma versão de algum hit em simlish. Dá uma olhada na música Smile, da Lily Allen, traduzida:

7. Aklo – Mitos de Cthulhu
O idioma apareceu pela primeira vez no conto “Povo Branco”, de Arthur Machen. As obras do escritor eram carregadas de pitadas de sobrenatural, terror e coisas fantásticas, tanto que acabou influenciando H. P. Lovecraft, hoje lembrado como um dos maiores autores do gênero.
Além de fã confesso de Machen, Lovecraft pegou emprestada a língua que o colega havia inventado e usou em seus contos sobre o mito de Cthulhu, uma divindade alienígena maligna. Alan Moore também utilizou essa linguagem na sua graphic novel sobre o deus.
O curioso sobre o aklo é que ele não é apenas um idioma, mas um código que contém magia oculta, por assim dizer. Moore, por exemplo, usa a língua como uma forma de induzir a hipnose. A língua, enfim, é cheia de mistérios. Se você ficou curioso, nesse artigo há uma longa explicação sobre as origens e regras do aklo.

8. Ofidioglossia – Harry Potter
Não poderíamos esquecer a língua oficial dos descendentes de Salazar Sonserina, o fundador da casa mais polêmica da Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts. A língua que Voldemort Aquele-que-não-deve-ser-nomeado usa para se comunicar com sua serpente de estimação, Nagini, é quase impossível de pronunciar. Prova disso é que só quem já nasce com o talento consegue falar o “idioma”. A única exceção é o próprio Harry Potter, que, como você provavelmente sabe, adquiriu o dom quando um pedaço da alma de Tom Riddle entrou nele. A Warner Bros chegou a lançar um tradutor oficial de ofidioglossia quando a febre “Harry Potter” ainda estava em alta, mas ele saiu do ar. Então, a melhor opção é o TheParselmouth, que faz exatamente a mesma coisa: transforma qualquer palavra em língua de cobra. Sssssuper legal!

9. Nadsat – Laranja Mecânica
Em “Laranja Mecânica”, Anthony Burgess criou um modo de falar bem peculiar para seus personagens. As expressões usadas por Alex DeLarge e seu grupo são uma mistura de cockney – o dialeto da classe operária britânica – e russo. Não é um novo idioma, mas uma série de expressões idiomáticas associadas ao inglês. A grande inspiração de Burgess para criar o nadsat foram as falas dos mods e dos rockers da década de 1960. Dezenas de dicionários circulam pela internet e um dos mais completos está nesse link. Clique e aprenda a falar como os drugues.

E aí? Deu vontade de aprender um idioma novo?

Fonte: Revista Superinteressante

Rowling deixa porta aberta para retomar universo de Harry Potter


Por Christine Kearney
NOVA YORK/LONDRES, 26 Set (Reuters) - Harry Potter chegou ao fim, mas seu universo ainda pode ser retomado.
Na semana em que a escritora J.K. Rowling lança seu primeiro romance adulto, ela revelou que seu próximo livro deve ser novamente uma obra para crianças, e admitiu que pode no futuro retomar o universo do menino-mago.
"Acho muito provável que a próxima coisa que eu publicar será para crianças. Tenho um livro infantil do qual realmente gosto, é para crianças ligeiramente menores do que os livros de Potter", disse Rowling em entrevista transmitida nesta quarta-feira pela BBC.
Num dos vários eventos para o lançamento do romance "The Casual Vacancy", que chega às livrarias do mundo todo na quinta-feira, ela disse à emissora britânica: "Realmente, no que diz respeito à história de Harry, terminei".
Mas a escritora de 47 anos não descarta algum outro tipo de sequência, embora garanta que jamais faria isso por razões meramente comerciais. Os sete volumes da série "Harry Potter" venderam 450 milhões de exemplares no mundo todo.
"Sempre deixei a porta aberta, porque não sou tão cruel. Se eu tivesse uma ideia fabulosa vinda daquele mundo, porque adorei escrevê-lo, eu faria", afirmou ela à BBC.
"Mas preciso ter uma grande ideia, não quero ir mecanicamente para aquele mundo, juntar uma miscelânea, colar tudo e dizer: ‘Lá vamos nós, dá para vender isso'. Seria zombar do que esses livros foram para mim."
"Sou muito avessa à ideia de ‘prequela' e ‘sequela'. Nunca vi funcionar nem na literatura nem no cinema. Essa é uma preferência pessoal", acrescentou.
Rowling, que começou a escrever numa época de dificuldades financeiras, disse que claramente haveria "apetite por oito, nove ou dez" volumes da série "Potter", mas que ela só tinha assunto para sete.
"Ir além seria ganhar dinheiro fácil. Eu não conseguiria. E é em grande parte por isso que eu tasquei aquele epílogo. Diz lá que (Harry) está levando uma vida pacata, e ele mereceu. Ele acabou."
(Reportagem adicional de Mike Collett-White, em Londres)
 

Suzuki Grand Vitara 2013 chega no Brasil


O Grand Vitara 2013 passou por reestilização e acaba de desembarcar no Brasil com novas tecnologias, como o piloto automático e o Brake Override.
Suzuki Grand Vitara 2013 (divulgação)
Suzuki Grand Vitara 2013 (divulgação)
A mudança no visual fica por conta da grade frontal e do pára-choque dianteiro que ganham um design moderno. Outras novidades desse tradicional SUV, que já está à venda nas concessionárias Suzuki, são os tecidos, rodas e as versões com teto solar.
Eleito um dos carros mais confiáveis do mundo, segundo estudo alemão TÜV Report 2011, por apresentar reduzida necessidade de manutenção, o novo Grand Vitara passa a ter de série e em todas as versões mais um item de segurança, o Brake Override. O sistema reconhece quando acelerador e freio estão pressionados ao mesmo tempo e garante a desaceleração do veículo em situações de emergência.
Outra tecnologia é o Cruise Control, piloto automático que acompanha os modelos com transmissão automática. O comando, uma vez programado, permite retirar o pé do acelerador e proporciona maior conforto ao dirigir em estradas por garantir a precisão no controle de estabilidade.
Seguindo a tendência mundial de cores do mercado de luxo, o Grand Vitara recebe aplicação exclusiva da cor bronze, em limited edition, com acabamento interior em tecidos e couro bege. Disponível com transmissão automática e opções de tração 4×2 ou 4×4, a edição limitada tem versões com teto solar que deixa o visual mais leve e sensação de amplitude para quem está dentro do veículo.
O Grand Vitara limited edition e todas as outras novidades da Suzuki poderão ser conferidas no Salão Internacional do Automóvel de São Paulo, de 24 de outubro até 04 de novembro.

Segurança

A construção do Grand Vitara em monobloco com sub chassi heavy duty incorporado gera maior durabilidade e resistência à torção. Além de permitir projeto para maior espaço interno e facilitar o acesso de entrada e saída dos ocupantes.
A estrutura possui áreas que deformam de modo programado a fim de garantir maior segurança aos ocupantes em caso de colisão. As zonas de deformação absorvem a energia do impacto e reduzem a desaceleração do veículo para garantir menor impacto aos passageiros.
Na parte frontal, o cinto de segurança traz ajuste de altura e pré-tensionador em três níveis (o primeiro para colisões leves, o segundo puxa o corpo para traz e o terceiro que aciona o airbag).
Os airbags complementam o cinto de segurança e protegem a parte superior dos ocupantes. Importante ressaltar que o acionamento da bolsa de ar é apenas em casos extremos para proteção de lesões fatais.
O motorista ainda dispõe de pedais desmontáveis e coluna de direção retrátil em caso de impacto. Nos bancos traseiros, os cintos são de três pontos e encostos de cabeça ajustáveis para os três ocupantes, além do sistema de fixação para cadeirinhas e assentos infantis (Isofix). As portas traseiras também trazem o sistema antiabertura suplementar de segurança (trava para crianças).
Os freios são a disco ventilados nas quatro rodas e possuem os sistemas ABS (antibloqueio), EBD (sistema eletrônico que otimiza a distribuição da força de frenagem entre os eixos) e o BAS (sistema que identifica uma situação de emergência, de acordo com a velocidade aplicada no pedal do freio, e aumenta automaticamente a carga da frenagem nas rodas independente da força aplicada).

Desempenho

O motor de alumínio, 2.0L (DOHC), mais leve, contribui para o desempenho do veículo com baixo nível de ruído, vibrações e aspereza (NVH). Movido à gasolina e 16 válvulas, é capaz de entregar 140 cavalos de potência a 6.000 rpm com torque máximo de 18,7 kgfm a 4.000 rpm. O coletor de admissão variável de controle eletrônico otimiza o torque e potência para todas as faixas de rotação do motor.
A suspensão McPherson na dianteira com barra estabilizadora tubular e Multilink na traseira, receberam atenção especial em seu projeto com a calibração de molas e carga dos amortecedores. Associados aos sub chassis heavy duty e à estrutura monobloco, garantem segurança de maneira única com um padrão de dirigibilidade excepcional.
A versão 4×4 do Grand Vitara é equipada com o mais robusto, resistente e confiável sistema de tração permanente. No asfalto, por ser All Wheel Drive (AWD) entrega mais grip o que aumenta a segurança. No uso fora de estrada o Grand Vitara possui ainda opções de diferencial central bloqueado e reduzida aumentando a aderência e força para qualquer tipo de terreno, inclusive no uso severo off-road.
Todas as mudanças de tração são acionadas eletronicamente por meio de um botão giratório no painel, o que torna possível optar entre os modos: 4H recomendado para uso urbano (condição AWD em que o torque é distribuído 47% no eixo dianteiro e 53% no traseiro), 4H lock ideal para off-road (bloqueia o diferencial central e iguala o torque na dianteira e traseira), modo 4L lock com tração 4×4 com reduzida para ser utilizado em situações off-road extremas. Assim, garante uma condução segura mesmo em piso molhado, curvas ou condições de uso extremas. O modo N desacopla a caixa de transferência e permite reboque sem danos.
O novo Grand Vitara apresenta também a versão 4×2 com tração traseira, para os consumidores que buscam um SUV robusto, ideal para rodar com segurança na cidade e para viagem no fim de semana.

Estilo e conforto

O SUV da Suzuki possui a dirigibilidade de um sedan com um amplo espaço interno sem aumentar o comprimento total do veículo. O ângulo de abertura das portas, otimizado, garante o fácil acesso a todos os ocupantes. O Grand Vitara traz a medida ideal para a família e um porta-malas com diversas configurações de capacidade de carga.
De série, o modelo traz espelhos retrovisores elétricos, estepe na porta traseira com capa rígida (com exceção da versão manual – 4×2), gancho para reboque dianteiro e traseiro, pára-choque dianteiro, traseiro e maçanetas na cor do veículo, conceito roof rack (rack de teto) incorporado ao veículo e vidros verdes.
A cabine contém itens que visam aumentar o prazer de estar a bordo do novo Grand Vitara. Entre os oferecidos de fábrica estão: ar-condicionado digital, banco do motorista com regulagem de altura, banco traseiro com inclinação em três níveis e rebatimento de encosto (70% e 30%). Descansa-braço central, direção hidráulica, computador de bordo com 11 funções (na versão automática) ou com 10 funções (na versão manual), regulagem de altura na coluna de direção, vidros elétricos e trava elétrica central.
As cores disponíveis do novo Grand Vitara são: Prata, Branco, Preto, Azul, Vermelho, Cinza Metálico e, em edição limitada, Bronze.

Tabela de preços

Grand Vitara 2012/2013 (24/09/2012)
  • 4×2 manual – R$ 72.914,00
  • 4×2 automático – R$ 80.300,00
  • 4×4 manual – R$ 81.875
  • 4×4 automático – R$ 88.025,00
  • 4×2 automático com teto solar – R$ 82.300,00
  • 4×4 automático com teto solar – R$ 90.025,00
  • Versão Limited Edition – disponível a partir do Salão do Automóvel

O RETORNO À PEDRA BRUTA



Um jovem mestre havia colocado a pedra filosofal sobre um pedestal feito de ouro, mas oco por dentro. Era um homem feliz.

Após sete longos anos de aprendizagem o mestre finalmente acreditava ter tempo para descansar de sua obra: o ato de transformar uma pedra bruta em uma belamente polida. 

Ao guardar então suas ferramentas, tropeçou num cinzel e tirou, sem querer, a pedra lavrada do seu pedestal. Ao tocar o solo, esta se quebrou em milhares de pedaços amorfos. 

Pobre mestre! Agora chora sua amarga pena, pois se deu conta de que aquela obra agora transformou-se em milhares de pedras sem forma... sem beleza.

Lavra a pedra de tua vida, mas jamais te conformes com a obra a que chegaste. Mantém-te constante em teu trabalho, porque a pedra que não se cuida é pedra que cai... e... se quebra.

sábado, 22 de setembro de 2012

"Festa do Facebook" na Holanda acaba com 34 presos e 29 feridos


A "festa do Facebook" na cidade holandesa de Haren terminou com 34 presos e 29 pessoas levemente feridas, entre eles três policiais.
Na noite desta sexta-feira (21), entre três mil e quatro mil jovens foram para a cidade em resposta a um convite para uma festa de aniversário que uma adolescente enviou por engano por meio do Facebook para milhares de contatos, que por sua vez encaminharam a convocação para outras pessoas.
A concentração acabou em choques entre a polícia e os jovens, que atiraram bicicletas, garrafas e pedras nos agentes de segurança, que responderam com gás lacrimogêneo e bombas de fumaça.
Por volta das 3h local, a polícia conseguiu dispersar os jovens, que destruíram vidros e garagens de algumas casas, saquearam um supermercado e destruíram sinais de trânsito e postes da luz.
Catrinus Van der Veen/France Presse
Centenas de jovens se reuniram para uma festa de aniversário divulgada pelo Facebook na Holanda
Centenas de jovens se reuniram para uma festa de aniversário divulgada pelo Facebook na Holanda
A prefeitura de Haren (cidade com cerca de 18.000 habitantes) pediu neste sábado por meio de sua página na internet que os moradores apresentem denúncias e entreguem para a polícia fotografias ou vídeos que ajudem na identificação dos envolvidos nos atos de vandalismo.
Apesar da festa ter sido cancelada, os jovens foram para o local marcado mesmo assim. As autoridades locais, por sua parte, decretaram estado de alarme na cidade, já que cerca de dez mil pessoas anunciaram que iriam para a festa.
A rua onde fica a casa da adolescente foi fechada e cercada pela polícia. A família da jovem deixou seu lar como medida de segurança. Além disso, a entrada da cidade foi fechada ao longo da madrugada para impedir que mais pessoas fossem para a comemoração.
Methe, a adolescente que queria celebrar seu dezesseis anos com poucos amigos e sua família, se deu conta nesta semana que seu convite, no qual tinha dado seu endereço, havia sido enviado para milhares de usuários do Facebook.

John Butler Trio - Ocean

CHINA PRETENDE LANÇAR NOVA MOEDA INTERNACIONAL


 
A notícia provém da Índia num artigo da India Vision News de 30 de Agosto de 2012 com o título sugestivo:
 
"China Lança Moeda Mundial Apoiada por Ouro - Agora os Americanos Terão de Encontrar uma Razão para lançar Uma Guerra Contra a China!!”

Trata-se da morte anunciada tanto do dólar como do Euro. O artigo indica que a China está a reestruturar toda a sua reserva de ouro em barras de 1kg para constituir a base de uma nova moeda para o comércio mundial. Se isso se concretizar, será a morte do dólar como moeda internacional privilegiada e do Euro. Afinal têm tanto valor como notas do Monopólio (só valem enquanto aceitarmos jogar com elas).

Já na sua última Cimeira na África do Sul, o grupo BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China, África do Sul) e os seus aliados haviam decidido utilizar uma moeda, que não o dólar, para trocas comerciais entre si.

Agora a China pretende dar mais um passo (decisivo) para retirar ao dólar o privilégio de ser a moeda para trocas comerciais internacionais. Todos irão preferir utilizar uma moeda valorizada por ouro, do que uma moeda (Dólar/Euro) sem valor real. O dólar e o Euro valerão/circularão apenas nos Estados Unidos e União Europeia. Ninguém mais os vai querer. Será o fim do sistema monetário actual baseado em crédito (dívida) para um novo sistema equitativo que já está pronto/preparado para o substituir.

Esta jogada (introdução de nova moeda escudada por ouro), já foi tentada antes, mas os americanos, percebendo que isso significaria o fim da sua "preciosa moeda" a curto prazo, arranjaram pretexto para atacar/destruir esse(s) país(es) e, para servir de exemplo a outros com a mesma ideia, assassinar o provocador - estou a referir-me a Saddam Hussein do Iraque e Muammar Gaddafi da Líbia.

Esta será a razão do título sarcástico do artigo. Os Estados Unidos provocarem a China? Atacarem a China? Bem, agora não se trata só da China mas de todo um novo grupo económico de que a China faz parte. Este grupo económico já abrange bem mais de 50% do Planeta. Os 'maus' estão cada vez mais isolados e são apenas um pequeno grupo de países (Estados Unidos, Reino Unido, França, Alemanha, Itália e Espanha).

A China não fez antes esta jogada por ser detentora de muitos bilhões de dólares e não lhe interessava que os dólares perdessem valor. Não é novidade o intenso/maciço investimento que a China tem feito por todo o mundo nos últimos tempos.  Assim, o que a China tem feito é livrar-se dos dólares, trocá-los por coisas reais, palpáveis e com valor como empresas, infraestruturas, terrenos, minério, etc.

Entretanto, os Estados Unidos e a União Europeia, procurando obter maiores lucros, mesmo que isso implicasse um incremento do desemprego nos seus países, deslocaram as suas indústrias para a China, estando agora também descapitalizados do seu sistema industrial de outrora e dependentes industrialmente da China. Isto é, os Estados Unidos e a União Europeia estão em recessão, sem dinheiro, atolados em dívidas, sem indústria e, os políticos, cuja política nos trouxe até aqui, falam em recuperação... Só mesmo um político pode ter essa 'cara de pau'.

O actual sistema monetário está morto, a sua vitalidade é aparente e mantida artificialmente. É apenas uma questão de tempo até ser passada a certidão de óbito. Não sei quando, como ou quanto tempo demorará a substituição do velho para o novo sistema. Possivelmente um fim-de-semana não será o suficiente e poderá acontecer 'férias bancárias' (1 semana?) para o novo sistema ser iniciado/introduzido globalmente.

Com este passo a China irá acelerar a introdução do novo sistema.

Boa Vida!

Fonte: Página Global

7,2 milhões de crianças de 10 a 14 anos já têm celular


Crianças que usam telefone celular
Eles ainda não saem sozinhos. Não têm compromissos profissionais. Ainda assim, 7,2 milhões de crianças de 10 a 14 anos tinham telefones celulares em 2011, ou 41,9% das pessoas nessa faixa etária. São 2,1 milhões a mais do que em 2009, quando essa fatia correspondia a 29,3%, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

As crianças de 10 a 14 anos fazem parte da parcela da população que teve o segundo maior aumento porcentual, cresceram 12,5 pontos porcentuais. O grupo de 15 a 17 anos teve o maior salto - 67,5% possuíam celular em 2011, 15,7 pontos porcentuais a mais do que em 2009.

Especialista em cultura do consumo, o professor da Fundação Getúlio Vargas Eduardo Ayrosa lembra que nessa faixa etária, os pré-adolescentes estão "construindo a sua identidade, em que o consumo fala muito forte". "O celular é um instrumento de identificação e de distinção muito forte. É absolutamente fundamental que se sintam aceitos", afirma. Ele vê a questão como fenômeno irreversível. "Para essa geração, usar o celular é como escrever".

A pesquisa não permite saber se o celular é um desejo das crianças, ou se a compra é iniciativa dos pais. Ayrosa aposta na segunda alternativa. "A sociedade entende a capacidade de se comunicar como capital fundamental. É assim que os pais entendem a vida, e não podem permitir que os filhos o façam de outra maneira".

O gerente de Serviços de Valor Agregado da Operadora Oi, Gustavo Alvim, confirma que a decisão de compra é definida pelos pais. "Esse é um público cada vez maior na nossa base. Eles foram alfabetizados digitalmente, estão em tempo real. Não têm a barreira tecnológica que muitos de nós temos", comenta.

Isabella Henriques, diretora de Defesa e Futuro do Instituto Alana, que tem projeto de consumo infantil consciente, alerta para os riscos da criança em relação à internet. "Vale a pena pensar se é interessante o acesso à rede pelo celular. Nenhum filtro vai ser suficiente para barrar todos os perigos na rede. E a criança não entende a amplitude da internet", afirma.

O acesso à telefonia móvel cresceu - passou de 57,6% para 69,1%, entre as duas últimas PNADs. Dos 61.292 domicílios, 89,9% tinham telefone. Desses, 49,7% tinham apenas celular e 3,5% apenas telefone fixo; 36,7% dos domicílios tinham as duas modalidades de telefonia; 10,1% não tinham nem celular nem telefone fixo.

Fonte: O imparcial

Postagens populares

Total de visualizações de página

Páginas